×

Salário Família.

Salário Família.

Já ouviu falar em salário família? Não? Talvez você tenha direito a esse benefício previdenciário disponibilizado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e nem saiba. Contudo, com esse nome, pode dar a entender que se trata de um salário-mínimo que o trabalhador recebe mensalmente. Mas não se engane, o valor costuma ser bem mais módico. Entretanto, é importante saber o que é e se você tem esse direito. Leia o artigo e descubra! O que é salário família? O salário família é um benefício pago pelo INSS de acordo com o número de filhos ou equiparados até a idade de quatorze anos ou inválido de qualquer idade. O valor da cota do salário família por filho ou equiparado de qualquer condição, até 14 (quatorze) anos de idade. Ou inválido de qualquer idade irá variar de acordo com a tabela anual da Previdência Social, com seu limites para cada filho de acordo com o salário percebido na remuneração mensal. É importante destacar que é considerado remuneração mensal do segurado o valor total do respectivo salário de contribuição, ainda que resultante da soma dos salários de contribuição correspondentes a atividades simultâneas. + Como funciona o Benefício Composição Familiar do Auxílio Brasil? Entenda! Quem tem direito? Somente alguns tipos de segurados podem receber o salário família, são eles: o empregado, inclusive o doméstico, o trabalhador avulso e também os aposentados. Para ter direito, você deverá cumprir dois requisitos: Possuir remuneração mensal de até R$1.655,98 (valor válido para 2022, é atualizado anualmente em janeiro); Ter filho(s) menor(es) de 14 anos ou filho de qualquer idade com deficiência; Ser segurado na previdência social. Como fazer o cadastro do salário família? Para se cadastrar no programa, o empregado deve entrar em contato diretamente com o empregador. Dessa forma, a empresa realiza o pagamento, e o INSS compensa posteriormente. Empregados domésticos também poderão solicitar o benefício com os contratantes. No caso de trabalhador avulso, sem carteira assinada, é preciso requerer o salário família no sindicato ou órgão vinculado à sua área de atuação. Para aposentados e dependentes de outros benefícios, o INSS realiza o pagamento de forma direta, com um valor complementar ao auxílio anterior. + Fim do auxílio emergencial: veja outros 6 benefícios sociais Os documentos são os seguintes: Documento de identificação com foto e o número do CPF; Termo de responsabilidade preenchido e assinado; Certidão de nascimento ou decisão de adoção dos filhos; Cartão de vacinação ou equivalente dos filhos e/ou equiparados de até 6 anos; Comprovantes de frequência escolar dos filhos de 7 a 14 anos. No caso da vacinação, os documentos devem ser renovados em novembro de todo ano. Já a frequência às aulas, devem ser apresentadas em maio e, também, em novembro de todo ano. Em casos de equiparados a filhos é necessário as seguintes certidões: Judicial de tutela (para o menor tutelado); ou certidão de nascimento (para o enteado); Casamento ou provas de união estável entre você e o pai/mãe do enteado; Declaração de não emancipação; Comprovação de dependência econômica do tutelado ou enteado. uma balança com um saco de dinheiro de uma la O salário-família é um benefício do INSS pago ao empregado, inclusive ao empregado doméstico, que recebe até R$ 1.655,98 É preciso renovar o salário família? Sim. Anualmente é necessário renovar o benefício. Isso ocorre todos os anos no mês de maio e de novembro. Isso acontece porque os trabalhadores que são beneficiários devem comprovar que ainda preenchem todos os requisitos para o recebimento. Esses requisitos se referem à frequência escolar, que deve ser comprovada duas vezes ao ano (maio e novembro) e à vacinação em dia cuja comprovação apenas ocorre uma vez ao ano, em novembro. Veja quais são os documentos necessários à renovação do benefício pago aos trabalhadores de baixa renda: Anualmente, no mês de novembro, deve-se apresentar a carteira de vacinação dos dependentes que tenham até 6 anos de idade; Todos os anos, em maio e em novembro, deve-se comprovar a frequência escolar dos dependentes que tenham idade entre 7 e 14 anos. Esse documento deve ter emissão pela própria escola em que os filhos ou enteados dependentes financeiramente estudem. Caso se perca o prazo para a apresentação dos documentos de vacinação e escolaridade, o benefício é suspenso. Isso significa que o pagamento dele se encerra até que haja a apresentação dos documentos devidos. Na hipótese em que os documentos comprovem que à época da suspensão do pagamento os dependentes estavam frequentando a escola corretamente e estavam com a vacinação em dia, o período é ressarcido. Em outras palavras, há pagamento dos meses em que o benefício ficou suspenso. Na retomada do pagamento, o trabalhador receberá o valor do mês-base e dos meses anteriores.

Publicar comentário