×

Rendimento Poupança.

Rendimento Poupança.

Qual será o rendimento da poupança em 2022? A queridinha dos brasileiros quando o assunto é renda fixa não está entre as mais rentáveis, mas ainda é a opção para muitas pessoas. Um dos atrativos é a segurança que a aplicação proporciona – você não perde dinheiro. Principalmente porque, o máximo que pode acontecer é perder o rendimento se sacar o dinheiro antes do vencimento. Além disso, a familiaridade com o investimento faz com que ele seja a principal escolha. Mas saiba que o rendimento dele geralmente está abaixo da inflação e, por isso, pode render menos que outros. Por isso, confira a seguir a variação do rendimento da poupança mês a mês. Acompanhar essas variações pode te dar uma ideia de como o rendimento da aplicação se comportará nos meses seguintes. Tabela de rendimento da poupança em 2021 Antes de mais nada, veja na tabela a seguir, o quanto a poupança rendeu mensalmente em 2021: Mês Rendimento da poupança mensal (2021) Janeiro 0,12% Fevereiro 0,12% Março 0,12% Abril 0,16% Maio 0,16% Junho 0,20% Julho 0,24% Agosto 0,24% Setembro 0,30% Outubro 0,36% Novembro 0,44% Dezembro 0,59% Rendimento mensal da poupança em 2021 (Fonte: Nubank) Portanto, o rendimento da poupança acumulado do ano até o momento é de 2,94%. Ao observar atentamente a tabela, é possível notar que houve um aumento de percentual significativo, principalmente a partir de junho. Isso aconteceu por conta dos sucessivos aumento da taxa Selic, que impacta diretamente os investimentos de renda fixa. Em dezembro, ela chegou a 9,25% ao ano. Vale destacar também que o percentual voltou a subir no ano depois de 4 anos de quedas anuais. Em 2020, a taxa foi de 2,11%. Na época, a Selic chegou a mínima histórica de 2% ao ano. Como o rendimento da poupança é calculado? Desde maio de 2012 o rendimento da poupança é calculado de duas maneiras: para quando está abaixo de 8,5%: 70% da Taxa Selic + Taxa Referencial (TR); e para quando a taxa básica de juros está acima de 8,5% ao ano: 0,5% + TR. O cálculo novo da poupança (ou antigo, já que a poupança funcionava assim até 2012), volta a funcionar a partir da semana que vem. Como resultado da chegada da Taxa Selic a 9,5%, o rendimento passa a render 0,5% ao ano. Até então, essa regra, valia somente para os depósitos que foram feitos na caderneta a partir do dia 3 de maio de 2012. Sendo assim, apenas os depósitos realizados antes desta data o rendimento está correndo com base no cálculo antigo. A Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira, é definida a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom). Atualmente ela está a 9,25% ao ano. Relógio ao lado de 3 moedas empilhadas em forma de gráfico com plantas em cima e uma casa de madeira de miniatura Rendimento da poupança em 2022 deve ficar abaixo da inflação Atual rentabilidade da poupança Para calcularmos o quanto rende mil reais na poupança, temos que considerar um retorno de 0,5%. Com essa taxa, se você investir mil reais na poupança, você terá cerca de R$ 61,70 em um ano. Sendo assim, supondo que a taxa continue essa, ao investir mil reais no final de um ano você terá R$ 1.061,70. Em dois anos, você terá R$ 1.127,21 e em três anos R$ 1.196,76. É importante destacar que isso é só uma projeção, já que o rendimento da poupança muda de acordo com a Selic e as regras anteriormente citadas. Sendo que a Selic pode mudar a cada 45 dias, quando ocorrem as reuniões do Copom. Vale destacar que os rendimentos da poupança são aplicados apenas uma vez no mês no chamado aniversário da poupança, o dia em que foi feito o primeiro depósito. Dessa forma, sempre que a aplicação completa um mês, o rendimento é somado ao montante investido. Isso significa que se você sacar o dinheiro antes de completar um mês, você não recebe os juros. Investir na poupança em 2022 vale a pena? Estar ligado nos melhores investimentos é importante para não cair em cilada, tampouco perder dinheiro de bobeira. Então, será que vale a pena investir na poupança em 2022? Essa indagação é comum, tendo em vista que a caderneta é uma das mais visadas pelos brasileiros. Mas, para 2022, pode-se antecipar que o rendimento da poupança não fará da caderneta a melhor escolha. Com a Selic em alta, as aplicações que estão atreladas à ela acabam tendo um rendimento menor do que a inflação. E a poupança não fica para trás. Também é importante destacar que a rentabilidade desse investimento só costuma acontecer na ”data de aniversário” dele, seu vencimento. Nesse sentido, se o investidor retirar o dinheiro antes do período, não garante o rendimento. O comparativo e análise da poupança pode ser ainda pior se levar em consideração o desempenho da inflação no período. Mas, como assim? É que se descontar o efeito da inflação sobre a rentabilidade, o rendimento real pode acabar sendo negativo. Logo, seria praticamente como colocar dinheiro embaixo do colchão. Resumindo… investir na caderneta em 2022 pode não ser a melhor alternativa já que: o rendimento da poupança deverá ser baixo; Um retorno obtido apenas se respeitar a “data de aniversário’’ da aplicação; Poderá ser incompatível com a inflação. Dessa forma, entende-se que não será vantajoso deixar o seu dinheiro parado na poupança quando existem opções que são tão seguras quanto e que podem te dar uma rentabilidade bem melhor. Qual o cenário da poupança para 2022? Os economistas do mercado financeiro mantiveram a projeção para taxa Selic no fim de 2022 em 11,50% ao ano, no Relatório de Mercado Focus. Há um mês, a mediana era de 11,25%. Contudo, a expectativa para a Selic no fim de 2022 subiu de 11,50% para 11,75%. No Boletim Focus, o cenário para a taxa básica de juros da economia também foi mantido para os anos seguintes. A estimativa do Focus para a taxa Selic no fim de 2023 continuou em 8,00%, ante 7,75% há quatro semanas. Para 2024, ficou em 7,00%, mesmo porcentual de um mês atrás. Já a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2022 permaneceu estável em 5,03%. Para o ano passado, é esperado uma inflação de dois dígitos, com a última previsão em 10,01%. Ambas as previsões estão acima do teto da meta de inflação para 2021 e 2022, respectivamente, 5,25% e 5% – valores já com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual do centro da meta para cima.

Publicar comentário