×

Desvalorização BBB.

Desvalorização BBB.

R$1,5 milhão é bastante coisa, isso ninguém pode negar. Mas você sabia que, se tivesse sido corrigido de acordo com a inflação, o prêmio do BBB seria bem maior? Pois é. Acontece que a inflação é essa “força invisível” que faz o dinheiro perder valor a cada dia. O que custava R$1 há dez anos, hoje pode custar o dobro ou mais. É por isso que, em um cenário ideal, todos os preços e também os salários são reajustados de acordo com a inflação. Assim, não se perde o chamado poder de compra. Com o valor pago pelo Big Brother Brasil não é diferente. O que R$1,5 milhão comprava quando foi pago pela primeira vez a um vencedor – em 2010 –, não compra mais atualmente. Quer entender mais e saber qual deveria ser o valor do prêmio em 2022? Então vem com a gente! Qual deveria ser o prêmio do BBB em 2022? A última vez que o Big Brother aumentou o prêmio, foi em 2010, quando o valor passou de R$1 milhão para R$1,5 milhão. Mas a inflação do período já superou 100%. Inclusive, o R$1,5 milhão de hoje tem menos poder de compra que os R$500 mil que eram pagos aos vencedores das primeiras edições do reality, a partir de 2004. Baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é o índice que mede a inflação do país, o prêmio do BBB em 2022 deveria ser em torno de R$3.042.182,67. O que isso significa na prática? Basicamente significa que tudo que custava R$1,5 milhão em 2010, hoje custa em torno de R$3.042.182,67. Ou seja, mais que o dobro. Portanto, também significa que o Marcelo Dourado, o ganhador da 10ª edição do reality em 2010, saiu mais rico que Juliette, vencedora da 21º edição. Mesmo que os dois tenham recebido R$1,5 milhão. Meme da Juliette, vencedora do prêmio BBB, chorando Juliette, vencedora do prêmio BBB, faturou muito mais fora do programa (Foto: Reprodução internet) + BBB 22: qual é o rendimento do prêmio de R$ 1,5 milhão? Gil e Juliette já fizeram mais dinheiro que o prêmio do BBB Mesmo tendo o poder de compra reduzido à metade, o prêmio do BBB ainda é significativo. Mas é fato que entrar no reality pode compensar muito mais pela visibilidade e pelas possibilidades de lucro aqui fora. Juliette, por exemplo, pode ter saído do programa com menos poder aquisitivo que Marcelo Dourado. Porém, com o avanço das redes sociais nos últimos anos, aproveitou muito mais essas plataformas para fazer ainda mais dinheiro. Alguns especialistas em finanças e influência na internet estimam que a ex-BBB já deve conseguir faturar cerca de R$30 milhões por ano. Ou seja, o prêmio do reality já é apenas uma parcela da carteira da paraibana. Gil do Vigor, que não chegou a receber nem o valor do terceiro lugar, já faturou R$15 milhões desde que saiu do programa. Ou seja, o correspondente a dez vezes o prêmio principal. O mesmo vale para a vice-campeã, Camila de Lucas, e vários outros participantes que, mesmo fora do pódio, lucraram muito com redes sociais e campanhas publicitárias. Produção do BBB chega a faturar mais de R$600 milhões Ninguém está reclamando ou dizendo que R$1,5 milhão a mais na conta é ruim. Mas se o Boninho quisesse, bem que ele poderia dar uma valorizada no prêmio do BBB. Afinal, a edição deste ano é a mais lucrativa da história do reality. Tanto que o programa já está sendo até chamado de “Super Bowl do mercado publicitário brasileiro”. Enquanto o BBB 21 vendeu R$529 milhões em cotas, estima-se que o BBB 22 vai faturar mais de R$600 milhões. O programa vendeu 11 das 12 cotas publicitárias disponibilizadas pela emissora. + Saiba quais são os valores para anunciar no BBB em 2022

Publicar comentário